Uma petiscaria chinesa nada esquisita

Nosso ‘banquete’ de 25 reais

Taí uma categoria que eu não entendo nada: petiscaria chinesa. Conheci a Petiscaria – Casa de Massas comendo lámen numa tarde esquisita de junho. E “esquisita”, foi como descrevi a casa para um amigo recém-chegado da China que levei para tomar uma cerveja lá, enquanto aguardávamos uma mesa no concorrido restaurante da frente.

Pois meu amigo pirou com o lugar e quis provar vários pratos. Acabamos atravessando a rua carregados de quentinhas, onde outro casal de amigos que morou na China, já aguardava na mesa. Pois não deu outra: terminado o almoço, novo tour pela petiscaria e promessas de um retorno.

 

Essa placa na fachada sempre me deixou com muitas dúvidas. Petiscaria? Casa de massas? E por que não as duas coisas juntas?

 

Cong Niu Bin (R$ 5), panquecas crocantes com cebolinha. Chegaram arrebatando: simples, bem temperadas, para querer comer sempre.

 

Ban Hai Dai (R$ 10): tirinhas de alga marinha, ficam uma delícia com cerveja. E ricas em espirulina.

 

Lu Bin (R$ 10), um ‘pout-pourri’ de entradas frias. Nesse dia vieram tirinhas de orelha, tofu seco e língua (quase curada)

 

Lu You Fan (R$ 8), um arroz com pedacinhos de carne de porco e caldo ‘gordo’. Vem com um ovo cozido no chá (R$ 2).

 

Olha eu fingindo que entendi tudo: arroz com carne e ovo (10), misto de frios (10), panqueca (5), algas (10) e duas cervejas (8). Nem cobraram as embalagens.

 

A casa é tocada por Miss Li Hong Liang, da província de Liaoning e um senhor que vocês acham que eu decorei o nome? Olha ali no balcão: 12 baozis (aquele pãozinho recheado no vapor) por 20 pratas. Porção familiar, preço de mãe. Quem quer voltar comigo?

 

Petiscaria – Casa de Massasmapinha aqui
Praça Carlos gomes, 139, Liberdade – Tel.: 0/xx/11/3105-1162

 

 

Comentários

  1. Eu volto com você, Kats! Só me avisar que eu te encontro lá!!!

    Aliás, essas iguarias de porco são fantásticas e me lembram muito a culinária de uma região do Japão – Okinawa.

    1. Vamos organizar uma expedição, mas precisamos de alguém que fale chinês!

      1. Idem! Tb não falo nada, só na base da linguagem corporal mesmo. Mas sufoco mesmo passei hoje. Depois conto no blog, rs! abs!

        1. Também quero ir !!! Serve um outro dialeto + mímica além do fato de ser analfa ? Os pratos estão muito caprichados e parecem bem gostosos !

          1. Linguagem corporal é tudo. Já consegui muita comida assim, kkkk!

  2. O lugar é super pequeno….acho que só têm 3 ou 4 mesas de 4 lugares. O pior não cabe mais nada! Mas vale a pena conhecer….. pelo post vi que algo melhorou…o cadápio escrito em português já ajuda muuito!

    1. Sim, na primeira vez nem tinha esse cardápio. Pedi lámen fazendo gesto com o hashi, kkkkk! Agora facilitou!

  3. Olá!
    Eu estou na China há dois meses e volto semana que vem ao Brasil. Quero muito conhecer esse restaurante, pois o que mais senti dificuldade aqui, foi a comida e ela, em nada se parece com o que você mostrou (parecem muito gostosas, por sinal).
    O que ouço é que no Brasil a culinária chinesa passa por uma “adaptação” para atender ao gosto local. Mesmo nos restaurantes de chineses autênticos.

    Tenho certeza que as iguarias chinesas, preparadas exatamente como aqui, não fariam esse sucesso no Brasil.

    Quero realmente conhecer a Petiscaria, assim que comer todas as delícias brasileiras para matar a saudade!

    1. Tb acho, Juliana. Esse lugar me causou estranheza exatamente por não ser ‘adaptado’. Acho que vc vai identificar essa característica lá. Abs!

  4. Adoooro o gyoza deles! Cheio de nira e massa muito boa! Bom de td eh q da pra levar o congelado pra casa. Tempero no ponto, ao contrário de um restaurante chines sempre cheio la perto q anda exagerando no glutamato.

    1. Hahahaha! Pelo visto vou ter que voltar para comer o gyoza, pq só ouvi elogios. Abs!

      1. vai sim..e me leva junto de lambuja!!haahhaha..tem um tiozinho q fala jp e isso ja ajuda um pco…aliás, até a panqueca de cebolinha tem pra levar pra casa!! uma amiga minha comeu o wanton deles e gostou bastante…eu tbm estou aumentando a lista da minha próxima visita!!rsrsrs…abs!

  5. Sempre passei por ai e acabei nunca entrando. Agora fiquei mais curioso!

    1. Eu tb. Mas nada com estar com alguém que fale a língua, rs. Abs!

  6. Sempreigo suas dicas e dessa vez nao foi diferente… Estou aqui e que comedia! Tive que mostrar suas fotinhos pelo celular para conseguir pedir!  mas esta valendo a pena! Bjs! s

  7. Uauu! Adorei e preciso conhecer o mais rápido possível! Vou ver se vou com a família para traduções e identificações! No restaurante atenko tem algo parecido com o Lu Bin! Hmmm, que vontade!

  8. Marcelo, valeu pela dica. É mais um local para conhecer com pratos diferentes dos convencionais. Assim, a gente se organiza para visitar esses restaurantes e bares e sai do dia a dia tão chato. Foi o que aconteceu quando você postou um comentário sobre a Hamburgueria 162, na Luiz Coelho. Estou sempre lá porque quase me mudei para o Espaço Itaú (sou uma cinéfila enlouquecida), mas sempre ia comer nos mesmos lugares ali perto. Vo muito ao Center 3, pois gosto do Wraps, do Gendai e do árabel (Latife? é assim, que se escreve?), que vc também recomendou há um tempão qdo visitou a unidade do Shopping Light. Tirei férias em agosto e não viajei. Com mais tempo, visitei a Hamburgueria 162 e fiquei fã. Já comi lá três vezes, pois os hambúrgueres são deliciosos e os molhos fantásticos. Mil abraços, Paula.

  9. katsuki, e a cerveja é lata ou garrafa? gelada? questão importante quando o assunto é petisqueria. abraço!

Comments are closed.