Marcelo Katsuki

Comes e Bebes

 -

Formado em arquitetura pela FAU-USP, Marcelo Katsuki é cozinheiro formado pela Escola de Gastronomia João Dória Jr e sommelier pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers).

Perfil completo

Publicidade

Tem marroquino no centrão

Por Marcelo Katsuki

Cuscuz marroquino com carne (R$ 15): molho à parte e tem versão veggie com 7 legumes

Downtown gourmet – vocês tão achando que a Cracoland é fraca, é? Se liga na novidade: depois do Riconcito (peruano da Aurora), do Biyou-Z (afro da Barão de Limeira) e do Habib Ali (árabe da Rio Branco), o último grito gastronômico local é o marroquino da rua Guaianazes, o Marrakesh! Chora com o nosso bairro multicultural!

Aberto há três meses, o pequeno restaurante tem apenas 10 lugares e serve pratos como o cuscuz e a sopa marroquina. Mas há opções como espaguete e bife acebolado, para quem não faz a linha étnica. Dei um pulo lá com o Junior na semana passada e olha o que comemos.

 

Harira (R$ 6): sopa marroquina com caldo espesso de legumes e macarrão.

 

Arroz marroquino (R$ 10) com  legumes e especiarias e dois pedaços de frango ensopado.

 

Quem cuida da cozinha é a Saba (pelo menos foi isso que entendi). O caixa mal entende o que a gente fala, e dá-lhe linguagem corporal para trocar umas ideias! Apelei até pra lista telefônica!

 

Chabakya (R$ 3), massinha frita e caramelada, coberta com gergelim. Crocante e com um leve gostinho de canela.

 

Baghrir (R$ 3), uma panqueca fofa e quentinha, toda aerada, servida com amêndoas.

 

Vá com tempo: no dia em que eu fui, a cozinheira fazia também às vezes de garçonete. E o caixa quando passou pelo salão, ouviu de um cliente: “Posso pedir um suco pra você?” ao que respondeu agradecido: “Não, obrigado”, achando que o suco era para ele. Pelo menos ele é educado, kkk!

 

 

Marrakech Restaurantemapinha aqui
Rua Guaianazes, 65 – Centro – Tel.: 0/xx/11/3331-6139
Aberto diariamente até as 22h. Fecha no domingo

 

Para os adictos da comida étnica!

 

Blogs da Folha