Marcelo Katsuki

Comes e Bebes

 -

Formado em arquitetura pela FAU-USP, Marcelo Katsuki é cozinheiro formado pela Escola de Gastronomia João Dória Jr e sommelier pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers).

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade

#farofa de pts

Por Marcelo Katsuki

Boa pra churrasco! – Eu adoro #farofa, e essa hashtag do título é porque pretendo postar as minhas favoritas aqui (e se você tiver alguma ‘diferentona’, me manda no e-mail ao lado que eu publico).

Quando voltei de Belém, passei dias comendo a farofa da Maloca do Orlando pura, quando chegava do jornal. Fiz o mesmo com a farofa fininha e torrada por horas da chef Tereza Paim.

Nesse feriado flagrei meu pai comendo uma tigelinha de farofa, bem na dele num canto da cozinha. Era essa farofa aí de cima, o último hit da minha tia Eiko. Onde ela vai, leva a farofa e fica todo mundo intrigado. Já perguntaram até se tinha toucinho, mas nem leva carne. É uma farofa famosa no meio vegano, feita com PTS (proteína texturizada de soja). Eu provei e achei supreendente. Não me condene, experimente e depois a gente conversa, rs!

Farofa crocante de PTS

– 1 xíc. de óleo de soja
– 2 xíc. de PTS
– 2 xíc. de farinha de mandioca flocada (biju)
– 1/2 pacote de creme de cebola (ou mais, se preferir mais salgada)

– Aqueça o óleo e frite rapidamente o PTS em fogo baixo, para não queimar.
– Junte a farinha de mandioca e o creme de cebola, mexa até torrar a farinha (1 a 2 minutos) e está pronta. The Flash.

 

 

Blogs da Folha