Marcelo Katsuki

Comes e Bebes

 -

Formado em arquitetura pela FAU-USP, Marcelo Katsuki é cozinheiro formado pela Escola de Gastronomia João Dória Jr e sommelier pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers).

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Champa com gelo

Por Marcelo Katsuki

Fui ao coquetel de verão da Moët & Chandon só pra entender que marmota é essa de botar gelo no champanhe. Ainda não tinha experimentado o Moët Ice Imperial, daí fiz serviço completo: tomei puro (exagerando e distorcendo, é quase um late harvest com perlage, rs), só com gelo, com gelo e pepino, com casca de limão, com grapefruit, só faltou com gengibre. E não é que fica bom? Pense numa bebida boa para tomar na praia? Ué, não é porque a gente é favela, que não gosta de champanhe.

~Luxo para todos~
Daí perguntei se poderia improvisar o drinque com espumante nacional. “Não”. E por que não? Porque ficaria aguado, já que o Moët Ice Imperial é mais intenso e quase adocicado para atingir o equilíbrio perfeito conforme o gelo vai derretendo.

Então, meu povo, se quiser improvisar com espumante nacional, faz o drinque e bebe tudo de uma vez, senão fica aguado e o gramur vai pro ralo. Mas não exagera, ou você  que vai pra sarjeta!

Acompanhe o Moët Ice Impérial no Facebook

O Moët Ice Imperial pode ser encontrado em lojas como o Empório Santa Maria (SP), Cavist Vinhotec & Restô (RJ) e na Adega Spazzio Jurerê (Floripa).

Blogs da Folha