Marcelo Katsuki

Comes e Bebes

 -

Formado em arquitetura pela FAU-USP, Marcelo Katsuki é cozinheiro formado pela Escola de Gastronomia João Dória Jr e sommelier pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers).

Perfil completo

Publicidade

À moda pernambucana

Por Marcelo Katsuki

Passei o finde ao telefone com amigos do Recife, preparando um chambaril com dicas de Luna e no cinema assistindo ao comentado filme pernambucano “O Som ao Redor”.

Bom, do filme não vou falar nada porque não entendi. Pros amigos, peço apenas para que cuidem bem da ‘minha casinha’ aí! E sobre o chambaril, finalmente descobri a diferença entre ele e o cozido nordestino: ele é bem mais leve – mas não menos gostoso. Duas horas depois eu já estava comendo um acarajé na Paulista, a caminho do Aconchego.

 


Receita de Chambaril

Bata rapidamente no liquidificador (você também pode picar tudo e refogar na panela, mas minha versão ‘preguiçosa’ também dá certo)
– 3 tomates
– 1 pimentão verde
– 2 cebolas
– 1 cabeça de alho
– 1 colher (sopa) de colorau
– 1 maço de coentro
– 1/2 litro de água

Coloque numa panela grande (ou caldeirão), leve ao fogo alto e junte:
– 3 colheres de extrato de tomate
– 1 colher de chá de cominho
– 3 folhas de louro
– Sal e pimenta do reino
– Um fio de vinagre

– Coloque os 2 kg de ossobuco (cortado com 6 cm de espessura)
– Junte mais 1 litro de água e cozinhe por 1h30 em fogo baixo (vai colocando água conforme for secando. Não é para ficar um molho encorpado e sim ralo para fazer o pirão.
– Quando a carne estiver macia, junte batata, cenoura, chuchu e repolho em pedaços grandes e cozinhe por mais 20 minuntos. Sirva com um pirão feito com o caldo, arroz branco e um vinagrete simples.

Se quiser uma versão mais rápida, corte o ossobuco mais fino e cozinhe na panela de pressão por meia hora que também fica bom. Dica de Luna.

Blogs da Folha