Cinco dicas gourmet em Luxemburgo

Por Marcelo Katsuki

A cidade mais parece um cenário e as atrações podem ser visitadas à pé. Das lojas e restaurantes orientais próximos ao terminal ferroviário, passando pelas casas estreladas à beira do canal em Grund até o centro, tudo é bem cuidado e as caminhadas são passeios com vistas deslumbrantes. Dispense o táxi.

 

Kaempff-Kohler

Um misto de rotisserie, bar de vinhos, patisserie e lojinha gourmet. Tem entrada por dois lados: no da praça há um reservado com mesas, ideal para dias mais quentes. Mas há mesinhas no interior onde dá para se fazer uma gostosa refeição. Nos displays, muito champanhe, foie gras e caviar. Sofisticado mas acessível.

 

Ilôt Gastronomique

No final da pequena rue de l’Eau fica esse edifício com restaurantes, cafés e bares de vinho onde se pode fazer um ótimo almoço a bom preço. Lá está localizado outro restaurante estrelado da cidade, o Le Bouquet Garni, com menu de almoço a 40 euros. Seu cozinheiro foi eleito o chef do ano de 2012.

 

Feirinha da Place Guillaume II

Toda quanta e domingo uma feirinha de pequenos produtores locais ocupa a elegante Place Guillaume II. Tem de tudo: verduras, temperos, vinhos, queijos, embutidos, flores e até frango assado, preparado na hora em dois fornos do tipo “televisão de cachorro” adaptados a um caminhão. Um programa muito gostoso e divertido para toda a família.

 

Andar a esmo pelo Centro

O miolo da cidade revela muitas surpresas a cada esquina dobrada: são chocolaterias, bistrôs, patisseries, bares, lounges, cafés de todos os tipos e até um simpático local especializado em sopas. Dá ainda para comprar nas lojas de conveniência e fazer um lanche tomando sol nos bancos das praças. Uma delícia.

 

Comer em um restaurante típico

Variedade é o que não falta em Luxemburgo mas vale a pena procurar por um restaurante tradicional que sirva comida típica. De base alemã e influência francesa, a cozinha local utiliza muito porco (quase sempre com chucrute), batatas, além de frutos do mar. Meu almoço de despedida foi no EMS, um restaurante popular indicado pelo recepcionista do hotel. Um porco defumado com batatas e feijão verde. Merecia uma estrela.