Manastirska Magernitsa – Sofia

Por Marcelo Katsuki

Quando cheguei ao Manastirska Magernitsa, indicado por um guia on-line como o lugar ideal para se conhecer a cozinha tradicional búlgara, achei esquisito. Na entrada, uma boneca nariguda dava boas vindas e a aparente desordem da decoração lembrava o pátio de uma creche onde as crianças acabavam de deixar o recreio.

 

Entrando no restaurante, a coisa só piorava. Um braseiro com roletes e caldeirões fumegantes em meio a tapetes, toalhas de tecido e muita madeira. Além de salas decoradas com roupas íntimas, imagens de santos e objetos de gosto duvidoso. Pensei em sair correndo.

 

Insisti, ainda bem. Um gentil garçom que falava inglês me atendeu e disse que as reservas estavam esgotadas mas que eu poderia comer desde que desocupasse a mesa antes das 20h.

 

E me encaminhou para essa sala lindinha aí de cima. Relaxei, li o cardápio imenso enquanto bebericava um vinho búlgaro indicado por ele. Bom o vinho, mas não tô achando onde anotei o nome. Aliás, gostei muitos dos vinhos búlgaros. Têm bons preços e muitos são de cepas conhecidas como Merlot, Cabernet, Chardonnay e Sauvignon Blanc.

 

Pedi uma salada que tivesse pimentão, daí foi sugerida a Kalugerska (10,80 leva), com pimentão assado e recheado com queijo, tomate com feta, pasta de beringela, pepino com iogurte, nozes, alho, endro, alface, beterraba e o feijão cozido com tomate. Um prato enorme que comi quase inteiro –e ainda pedi para apressarem o prato principal, antes que perdesse a fome –e chegasse o dono da mesa.

 

A sugestão de prato típico foi um Cabrito com maçãs e conhaque (29,80 leva) com costeletas desossadas marinadas em conhaque e suco de amora. Outra porção familiar, com maçãs assadas e cogumelos enormes, além de dois queijos gratinados com sementes de papoula, tudo envolvido por um molho de amoras.

 

De sobremeas, Sweet Milky Banitza (6,60 leva), um  bolo com várias camadas de massa intercaladas com um creme de confeiteiro simples (como uma lasanha). Acompanhado maçã e laranja com calda de frutas vermelhas. O doce favorito do garçom, que me contou que sua mãe prepara todos os domingos.

Fiz essa refeição momesca em menos de uma hora –para desocupar a mesa– e voltei à pé para o hotel com a certeza de que na Bulgária se come realmente bem e barato. E de que tinha exagerado, claro.

 

Manastirska Magernitsamapinha aqui
ul Han Asparuh 67, Sofia, Bulgaria – Tel.: 980-3883