Chefs na Virada Cultural

Domingo foi dia de Virada Cultural e de Chefs na Rua. Como tinha um almoço de família, fui para a av. São Luís só depois das 15h –mas deu para aproveitar bem a muvuca. Com notório atraso (a vida não anda fácil), publico aqui algumas imagens da festa que nessa ano ocupou um espaço ótimo, com muito verde e área de escape para a praça Dom José Gaspar.

Achei até tranquilo, comi tudo o que quis. Os mais concorridos, como o cachorro quente francês do Raphael Despirite, deixei para a hora da xepa, até comprei com desconto. Queria ter ido também ao Comida de Rua 24h e ao point do Casserole, numa iniciativa própria do restaurante (achei genial), mas uma vida só tem sido pouco, rs.

 

O Porco à Paraguaia do chef Jefferson Rueda foi assado na própria avenida, durante a madrugada

 

A carne foi marinada por dois dias e passou mais de oito horas assando

 

O resultado: carne macia e pururucada, servida com tutu de feijão e geleia de pimenta (R$ 15)

 

Os chefs Marcelo e Samuel Shoel da  The Dog Haüs levaram o Original Dog, com cheddar, chilli e cebola (R$ 15)

 

A chef Heloísa Bacellar (Lá da Venda) levou seu bolo de milho cremoso, além de pão de queijo, Pacotinho Goiano, tubaína e pacotinho de carne moída.

 

A chef Daniela França Pinto, do Marcelino Pan Y Vino, preparou sanduíches de tortilha (R$15) de costela assada, camarão com mandioca e berinjela com queijo e cogumelos

 

A chef Flavia MariotoMercearia do Conde – ofereceu curry vermelho de frango e curry verde vegetariano (R$15 cada)

 

O chef Renato CarioniCosí – levou o divertido Corndog: salsicha empanada em massa de milho servido com maionese trufada (R$8)

 

Magdalena Torres, da Sabores de mi Tierra, preparou costelinha de porco com arepas de queijo e ají criollo (R$13)

 

1900 Pizzaria vendeu fatias de pizza Margherita, Gratinata (Catupiry, provolone e parmesão) e Calabresa com mozzarella (R$ 6 a fatia)

 

O chef Lucas Corazza vendeu Brownie de chocolate ao leite com banana e cumaru (R$6), brownie de chocolate branco com jabuticaba (R$6) e brownie de chocolate amargo com cupuaçu (R$6). O kit com três pedaços custava R$15

 

O Nakombi participou do evento vendendo Combinado de sushis por R$10, olha que beleza!

 

O chef Dagoberto Torres, do Suri Ceviche Bar, preparou seu Ceviche Clássico (peixe branco, cebola roxa, coentro, milho e batata doce – R$12)  e Manjubinha encevichada (empanada, frita e com molho de Ceviche – R$12)

 

A chef Carole Crema, da La Vie En Douce, levou seu imbatível Bolo Gelado de Coco, Cupcakes nos sabores brigadeiro crocante, bem casado e chocolate com morango. Por deizão você levava três itens.

 

As apresentadoras do Comida Caseira (canal Bem Simples) reunida atrás da barraca: Bárbara Verzola, Ale Blanco, Marina Hernandez e Carole Crema.

 

Os irmãos Carlos e Flávia Ribeiro levaram o Barreado com arroz, banana e farinha do Na Cozinha (R$15)

 

Dona Carmem Virgínia, que atendeu à enorme fila que se formou em sua barraca atrás de acarajés, e Janaína Rueda, do Bar da Dona Onça, que preparou um estrogonofe de carne servido com arroz e batata palha (R$15)

 

Os chefs James Hollister e Milton Freitas, do Antonietta, levaram a Polpeta Love Story, com molho de tomate, pesto e queijo (R$12)

 

Benny Goldenberg, do Mangiare Gastronomia, preparou um inusitado mas muito saboroso sanduíche de dobradinha! (R$15)

 

O restauranteur Hugo Delgado em frente à barraca do Obá, onde o chef Henrique Benedetti preparou tostadas de tinga de carne (R$10)

 

O chef Raphael Despirite – do restaurante Marcel – levou seu disputado Hot Dog à Francesa (gratinado com molho bechamel e queijo gruyère (R$14/R$ 10 na xepa, rs)

 

O chef Carlos Bertolazzi (Per Paolo) levou o Nhoque a Diavollo (peperoncino e calabresa, R$15) e o Nhoque Del Capo (com ragú de fraldinha e fonduta de queijo Maasdam, R$15). Já Vera Bertolazzi (C.u.c.i.n.a.) ofereceu arroz de pato (R$15)

 

Tirei essa foto depois de algumas Margaritas, já no fim do dia. Pardon, não me lembro onde foi…

 

Anoiteceu e ficou o maior clima de quermesse. Só digo uma coisa: foi divertido.

 

Até o ano que vem! Óinc!

Comentários

  1. Achei extremamente caro pelo tamanho das porções. Chefs na Rua nunca mais.

  2. haviam outros tb, como a barraca da samosa indiana…pq vc n tirou uma fotinho e colocou aqui tb?!

    1. Porque não consegui. Tentei entrar pela saída de alguns quiosques, só para fotografar e sair, mas as pessoas reclamavam, rs. Eram 30 barracas!

  3. Marcelo acho que um evento desse deveria acontecer também fora do VIRADA CULTURAL não achas??? Acho super bacana, poderia repetir outras edições. Fica a dica. Abraços.

    1. Rick, mas ele acontece. Tem um semananal na Vila Madalena e outras edições do Chefs na Rua ao longo do ano, como na festa do Centenário do Gonzagão, com essa mesma equipe. Além do “O Mercado”, que acontece no Mercado de Pinheiros. Abs!

Comments are closed.