Marcelo Katsuki

Comes e Bebes

 -

Formado em arquitetura pela FAU-USP, Marcelo Katsuki é cozinheiro formado pela Escola de Gastronomia João Dória Jr e sommelier pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers).

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Tem festival do cachorro-quente no sábado!

Por Marcelo Katsuki

Os gastrochatos já decretaram: cachorro-quente bom é pão, salsicha e mostarda. E só. Agora voltemos à Terra: você curte um dog completo?

Acho que no mundo todo o sanduba deve sofrer influências locais. Penso num dogão coreano com kimchi, num alemão com chucrute e num japonês com maionese de wasabi. Pirei?

Por isso, adoro a versão paraibana, com carne moída, verduras e queijo coalho ralado. É o terruá-dog! Assim como o hot dog do Oliveira (lá de Laranjeiras, no Rio) onde o cara te serve um ‘podrão completo’ ostentando um enorme chapéu de chef! Agrega valor à marca, rs!

Em casa, gosto de pão bem macio (compro o da Casa Victoriana) com salsicha, maionese, mostarda, catchup, pimenta e muita batata palha. Podrão caseiro! Por isso, nesse sábado vou passar a tarde em Osasco comendo quantos cachorros-quentes conseguir. Vai rolar o 2º Festival do Cachorro Quente, com 20 carrinhos posicionados no Bicicletário da Estação Osasco. Dogão completo, de carrinho. Bora lá?

Veja a programação completa clicando aqui. O mapinha tá aqui.

 

Podrão caseiro básico

Duas dicas que aprendi com chefs e que realmente funcionam:

– Cozinhe as salsichas com pouca água, 1 colher de manteiga e 1 folha de louro. Quando secar, retire o louro e dê uma leve fritada com a manteiga que ficou na panela.

– Ou cozinhe as salsichas com um tablete de caldo de costela. É trash, mas fica bom mesmo, rs!

Blogs da Folha