O restaurante de um prato só

Por Marcelo Katsuki

Macaxeira, carne de sol e queijo coalho. São esses os três ingredientes que compõem a especialidade da Casa de Noca, em Olinda. No menu, três opções mas de tamanho: para 2, 3 ou 5 pessoas. Só que os pratos são gigantescos e com certeza servem mais pessoas.

 

A casa fica numa ruazinha descendo a ladeira da Misericórdia, em Olinda. Fui levado lá pelo meu amigo Belarmino num almoço no meio da semana –e que acabou rendendo assunto em sua coluna semanal no programa de Éden Pereira na JC News. Uma tranquilidade só, porque no finde, a casa lota.

 

A macaxeira de Noca é famosa, muitos dizem ser a melhor da cidade. E ela é mesmo muito macia e chega à mesa sem fiapo, parece processada. Desmancha na boca e tem um gostinho de parmesão que, por mim, nem precisava.

 

Mesmo depois de servidos, olha a quantidade de macaxeira que ainda ficou no prato. Pedimos uma porção para dois e acabei levando para casa uma quentinha de macaxeira cozida.

 

A casa é radical no quesito “prato único”, não tem nem sobremesa. Quem quiser que leve uma goiabinha para comer com um pedaço do queijo no final da refeição. Se sobrar coalho, claro.

Um dúvida: saí de lá sem saber se Noca é homem ou mulher. Seu Noca? Dona Noca? Talvez Noca seja uma filosofia de vida, não sei.

Casa de Nocamapinha aqui
Rua Bertioga, 243 – Bonfim – Olinda/PE – Tel.: (81) 3439-1040